quinta-feira, 26 de julho de 2012

ESTRELA 1 X 1 DESPORTIVA


A Desportica Ferroviária é a grande campeã da Série B do Campeonato Capixaba de 2012. Na tarde deste sábado, no Estádio do Sumaré, em Cachoeiro de Itapemirim, com quase 5 mil espectadores, a Locomotiva Grená arrancou um empate heroico, em 1 a 1 com o Estrela, já nos acréscimos do segundo tempo, e coroou sua volta à Série A estadual com o título da competição. O Estrela também subiu para a elite capixaba de 2013.

O resultado era justamente o que o time grená precisava para ficar com o troféu, já que havia vencido por 2 a 1 a partida de ida, há uma semana, no Estádio Engenheiro Araripe. O herói do jogo foi o atacante Hércules, autor do gol salvador para os ferroviários, já nos acréscimos. Pingo é quem havia aberto o placar para o Estrela, logo aos quatro minutos de partida.

A partir do próximo dia 4 de agosto, a Desportiva Ferroviária inicia sua participação na Copa Espírito Santo de 2012. O time grená encara o Serra em sua estreia, às 15 horas, em local ainda não definido. Já o Estrela só volta a campo na temporada que vem, agora na Série A do Campeonato Capixaba. A equipe não quis participar da competição.

O JOGO – PINGO PÔE O ESTRELA NA FRENTE
Com o "caldeirão" do Sumaré fervendo, o Estrela tratou de partir logo para cima. No jogo dos sonhos do técnico Paulo Ferreira, tudo o que seu time precisava era de um gol logo nos primeiros minutos. E conseguiu. Aos quatro, o experiente meia Pelica, dessa vez com a camisa 13, cobrou falta da ponta direita. A bola cruzada saiu praticamente rasteira e passou no meio de toda a defesa grená, que se atrapalhou toda e viu o meio-campista alvinegro Pingo, na segunda trave, completar para a rede: Estrela 1 a 0.

A Desportiva tentou reagir. Aos nove, o zagueiro estrelense Guilherme precisou travar um chute do meia-atacante Léo Oliveira. No rebote, o volante ferroviário Carlos Alberto finalizou para fora. O time de Jardim América tentava trocar passes e "empurrar" os cachoeirenses para trás. Mas a resistência do time da casa era boa. Já com o relógio correndo a ser favor, o Alvinegro jogava sem assumir grandes riscos, esperando uma nova falha adversária para ampliar.

Entre os 20 e os 30 minutos, o Estrela pareceu controlar a partida. Nos quinze minutos finais do primeiro tempo, porém, a Desportiva chegou três vezes com perigo à meta do goleiro Dênis. Exercendo uma forte marcação na saída de bola estrelense, a Tiva conseguiu chegar aos 31. Após um centro vindo da esquerda, Léo Oliveira matou no peito e chuto sobre a defesa. Na sobra, Carlos Vitor mirou o ângulo esquerdo e obrigou Dênis a espalmar para escanteio.

Na sequência, outras duas boas chances grenás. Aos 33, o meia-atacante Flávio Santos bateu por cima do travessão. E aos 35, susto ainda maior para a massa estrelense. O atacante Hércules recebeu e chutou rasteiro, forte, e novamente coube ao camisa 1 salvar o time da casa, com mais um desvio pela linha de fundo.

GOL FERROVIÁRIO É ANULADO
A Desportiva voltou na mesma toada. Com Feijão na vaga de Léo Oliveira, o time seguiu pressionando. Aos sete minutos, Carlos Vitor bateu firme, Dênis desviou e a bola ainda raspou a trave. No minuto seguinte, Flávio Santos cabeceou, completando uma cobrança de escanteio, mas a bola, que teria a rede como destino, acabou desviada involuntariamente por seu companheiro, o zagueiro ferroviário David. Aos 12, foi Vitor Bubu quem arriscou pela Tiva e novamente o goleiro Dênis tocou para escanteio. O Estrela se safava de mais uma.

O gol de empate parecia questão de tempo. E aos 13, ele saiu, mas o árbitro Rudimar Goltara acabou anulando o lance, supostamente por um toque de mão. Na jogada, o volante e capitão da Desportiva, Carlos Alberto, completou cruzamento após a bola passar entre vários jogadores. O árbitro chegou a correr para o meio de campo, mas alertado por um dos assistentes voltou atrás e invalidou o gol que seria o do empate e, naquele momento, o do título para a Desportiva.

GRENÁS PARTEM PARA O TUDO OU NADA
No Estrela, o técnico Paulo Ferreira mexeu, tentando recuperar o controle do meio de campo, pondo Patrick e Sandro nas vagas de Pingo e Magno. Na Tiva, Mauro Soares partiu para o tudo ou nada. Cacá entrou no setor de armação, saindo Carlos Alberto da cabeça de área. A tendência era que surgissem novas chances de gol. Expectativa que foi confirmada.

Aos 25, Fernando Paulista teve tudo para matar o jogo para o Estrela. Mas, na pequena área, o atacante desviou para fora. Incrível. Aos 35, Ítalo também finalizou com perigo. David salvou de cabeça o que poderia ser o segundo gol estrelense.

HÉRCULES FAZ O GOL DO TÍTULO
A Desportiva insistia, forçando o Estrela a cometer várias faltas em sua intermediária defensiva. Na pressão, os grenás buscavam o gol que valeria o troféu e deram sufoco. A zaga alvinegra cortava como podia. Mas a própria Desportiva também se expunha aos contra-ataques. A torcida do Estrela, confiante, chegou a começar a gritar "é campeão". Mas ainda havia jogo.

E ele ainda ganharia em emoção. Já aos 47 minutos do segundo tempo, Hércules recebeu cruzamento na área e chutou para empatar o jogo em 1 a 1, fazendo, assim, o gol do título ferroviário. Na comemoração, o atacante tirou a camisa e saiu rodando-a no ar, lembrando a comemoração de Adriano, o Imperador, pela Seleção Brasileira contra a Argentina, na final da Copa América de 2004.

Sem saber direito em que direção correr, Hércules fez pose de "Hulk" e vibrou feito uma criança. O torcedor grená que compareceu ao Sumaré, então, estava em êxtase absoluto. Já não era mais possível raciocinar. Ainda deu tempo de Hércules ser substituído por Pablo e sair mais que aplaudido pelos ferroviários das arquibancadas. Mais três minutos até o apito final e, enfim, a consagração: Desportiva, campeã da Série B do Capixabão de 2012.

ESTRELA 1 X 1 DESPORTIVA FERROVIÁRIA
(Ida: 2 a 1 para Desportiva)
Campeonato Capixaba Série B 2012 (Final - Jogo de volta)
Data: 21 de julho (sábado)
Horário: 15h15
Local: Estádio do Sumaré (Cachoeiro de Itapemirim)
Árbitro: Rudimar Goltara (CBF)
Público: 3.950 pagantes (total: 4.850)
Renda:  R$ 49.000,00
Gols: Pingo (EST), aos quatro minutos do primeiro tempo. Hércules (DES), aos 47 minutos do segundo tempo.

Estrela do Norte: Dênis; Kinka, João Carlos, Guilherme e Ratinho (Leandro); Bruno Mineiro, Pingo (Patrick), Magno (Sandro), Pelica e Ítalo; Fernando Paulista.
Técnico: Paulo Ferreira.

Desportiva Ferroviária: Felipe, Anderson Sorriso, David, Tony e Tatá; Carlos Alberto (Cacá), Vitor Bubu, Flávio Santos, Carlos Vitor e Léo Oliveira (Feijão); Hércules (Pablo).
Técnico: Mauro Soares.


FONTE:

Nenhum comentário:

Postar um comentário